quarta-feira, 6 de abril de 2016

A condecoração

                                 A Condecoração 



            Era uma vez uma menina que tinha um sonho, o de ser bombeira, para poder salvar muita gente.
              Ela chamava-se Marília. Ela tinha cabelos loiros como o sol, olhos azuis, como o mar, pele clara como as areias das praias.  Era linda e muito simpática .
            Quando chegou aos 18 anos, foi para voluntária, nos Bombeiros da Cruz Verde, em Vila Real.
            Um dia estava em casa e ouviu um gato a miar com muito medo. Marília pegou numa escada que tinha em casa e foi para rua salvar o pobre animal.
             Na manha seguinte, uma sirene externa tocou e Marília foi logo para o quartel preparar-se com o nomex. Quando chegou ao local do fogo, reparou numa criança a chorar no meio do fogo. Ela desatou a correr para poder salvar a menina, enquanto a mãe dela chorava sem parar, com medo de a perder. Marília conseguiu pegar nela, saltou por cima das chamas e ficou tudo bem.  Depois de apagarem o fogo, toda a gente gritou de alegria, e a valente bombeira sentia-se uma verdadeira heroína.
             As pessoas gritaram:
             -Viva a Marília! Viva!
            -Obrigada a todos- diz ela emocionada e a chorar de felicidade. A Sofia é que é a verdadeira heroína, pois não teve medo, não entrou em pânico e deixou-me salvá-la.
            No dia seguinte ao salvamento, Marília foi notícia nos jornais, além de ser condecorada pelo chefe Teodoro.
            Já no quartel, o chefe disse:
              -Entrego-te este prémio por teres salvo uma criança e seres tão corajosa. Além disso, passas agora a ser uma bombeira.
             No final do dia, Marília foi jantar com a família, muito contente pela sua boa ação.
                                

Filipa Moreira, 5ºA

Sem comentários:

Publicar um comentário