sexta-feira, 8 de maio de 2015

AFONSO CRUZ


AFONSO CRUZ no agrupamento de escolas Morgado de Mateus

                Afonso Cruz, personalidade multifacetada, esteve na biblioteca escolar da escola EB 2, 3 Monsenhor Jerónimo Amaral do Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus. Encontrou-se com 70 alunos do 2º ciclo, para conversar sobre os seus livros, as suas múltiplas atividades culturais e artísticas – a ilustração, a realização de filmes de animação, a música - as suas viagens e sobretudo sobre as pessoas e as palavras.

                Foi recebido pela diretora do agrupamento Marina Teixeira, a apresentação foi realizada pelo subdiretor João Borges Pinto, a preparação dos alunos esteve a cargo da docente Carla Azevedo e outros docentes de português, o espaço foi preparado pelas assistentes operacionais Adília Martins e Eugénia Ferreira e a coordenação foi efetuada pela professora bibliotecária Anabela Quelhas.

                Toda a sua obra é muito expressiva, artística e poética, pois combina muito bem a imagem com a escrita. A escrita é filosófica, profunda e sensível onde a parte estética das palavras e da exposição das ideias é sempre considerada. Escreve obras de grande qualidade, que já obtiveram vários prémios literários; o segredo está na sua “despensa” de ideias onde armazena as suas experiências das viagens, que faz para conhecer pessoas e locais, e no seu desejo de escrever bem e para todos. Os seus livros têm sempre mensagens nas entrelinhas que podem ou não ser interpretadas por todos os públicos.

                A obra mais focada foi “A contradição humana” que integra a lista de obras aconselhadas pelo Plano Nacional de Leitura. A abordagem das contradições que todos nós vivemos, eleva-nos o pensamento, dos mais novos e dos mais velhos, para diversos entendimentos da lógica das palavras, do seu significado e finalmente do universo.

                Um agradecimento especial ao Espaço Miguel Torga que nos proporcionou tão belos momentos.

“Dentro das pessoas – e isso inclui os vizinhos – habitam as maiores contradições. Por exemplo: A minha tia gosta muito de pássaros mas prende-os em gaiolas. É uma pena!”

AQ




Sem comentários:

Publicar um comentário